Páginas

25 dezembro, 2009

DIY - Textura no Vidro

Está sem idéias para dar um presente diferente a uma pessoa especial? Que tal fazer um presente personalizado? Seguindo as instruções do site da Acrilex, eu fiz um vaso com textura e não foi muito difícil.

DIY - Textura no Vidro
A técnica empregada para tal chama-se Textura no Vidro, e pode ser bem versátil. No meu caso, eu usei o mesmo tema do passo-a-passo, mas existem diversas tintas que podem ser usadas como desejar.

Dicas
  • Como eu não consegui encontrar a Textura Criativa Structure Paste Verde Transparente 850, eu usei a Verde Inglês;
  • Para complementar o presente, pode-se usá-lo como bomboniére ou um kit de cosméticos

09 dezembro, 2009

KM de Vantagens

Pessoal, aí vai uma dica para quem participa do programa de fidelidade KM de vantagens dos postos Texaco/Ipiranga:


Ou seja, tudo que tem no site do Compra Fácil, tem no KM. Acho que firmaram alguma parceria e os produtos disponíveis são iguais e de mesmo preço (se não forem os mesmos). Para quem não conhece o programa, visite o site do KM de vantagens e veja como participar.

KM de Vantagens Texaco/Ipiranga
Os descontos para compra nos sites são muito bons, vejam na tabela abaixo (em 09/12/2009):


Eu já utilizei alguns pontos acumulados na compra de um Netbook Asus Eeepc 1005HA e ganhei um desconto de R$ 250,00 fácil, fácil - sem burocracia nenhuma. Basta acessar o site do KM e entrar com o CPF e senha. Daí em diante, pode-se pesquisar os produtos que quiser do site e comprar que na tela do carrinho existe uma opção para marcar se quiser descontar os KM. Pronto!

Conclusão

Recomendo! Do dinheiro gasto em combustível, uma média de 40% refere-se a impostos. Sei que não irei recuperar todo esse valor, mas pelo menos uma parte posso usar como desconto em produtos de maneira rápida (sem a inconveniência de ter de ligar para um 0800). Por exemplo, no meu caso, esse netbook saiu por menos de R$ 800,00 - valor que eu não conseguiria em outra loja.

Dicas
  • Para cadastrar os KM, basta solicitar ao posto em que vc está abastecendo que o registro é feito online;
  • Ao completar o cadastro no site, vc ganha + 100 KM;
  • Se cadastrar um posto preferido no site, vc ganha 2x mais KM ao abastecer nele.

01 dezembro, 2009

Instalação Automatizada - K-Lite Codec Pack / Mega K-Lite Codec Pack

Nesse post, segue um tutorial de como fazer uma instalação automatizada do K-Lite Codec Pack / K-Lite Mega Codec Pack.



Requisitos:

Procedimento:

Após baixar o K-Lite (irei usar o arquivo K-Lite_Codec_Pack_544_Basic.exe como exemplo), execute o seguinte comando para personalizar a instalação:


K-Lite_Codec_Pack_544_Basic.exe -MakeUnattended

Ao executar o pacote com o parâmetro -MakeUnattended, o Codec não será instalado no seu micro, em vez disso, aparecerá um wizard em que pode ser selecionada qualquer opção de instalação. Selecione as opções que desejar e, ao final do wizard, serão criados dois arquivos na mesma pasta do executável:

klcp_basic_unattended.bat
klcp_basic_unattended.ini

O .bat apenas traz a linha de comando usada para instalação silenciosa. O .ini é o arquivo que contém as opções escolhidas durante o wizard.

Pronto! A instalação do seu K-Lite já está automatizada, basta executar o .BAT que o K-Lite será instalado sem qualquer intervenção. Qualquer dúvida, postem um comentário.

Fonte: Codec Guide

28 novembro, 2009

Investigação Científica - Aplicação em T.I.

Nesse post, eu gostaria de compartilhar uma experiência em que empreguei o Método Científico na resolução de uma atividade de suporte técnico - para aqueles que não sabem, cursos de nível superior têm, obrigatoriamente, em seus currículos alguma disciplina referente à Metodologia Científica. Isso se deve à premissa que, para distinguir o conhecimento científico do "senso comum", deve-se empregar um método científico para validação (ou não) dos dados.


Introdução

O objetivo aqui não é discutir acerca do avanço que foi a implementação do Método Científico no desenvolvimento da ciência, mas cabe uma pequena apresentação:
Para muitos autores, o método científico nada mais é do que a lógica aplicada à ciência. (Wikipedia)
E complementando, convenção a respeito dos procedimentos a serem empregados na ciência, diria eu. Para que qualquer estudo seja aceito na comunidade científica, o emprego dessa metodologia na investigação de seu objeto é imprescindível.

Para saber mais sobre o assunto, recomendo uma visita inicialmente à Wikipedia e a leitura de um livro muito bom: Introdução ao Projeto de Pesquisa Científica - Franz Victor Rudio.

Introdução ao Projeto de Pesquisa Científica - Franz Victor RudioLivro muito bom sobre o Método Científico

No entanto, o emprego do método de Investigação Científica pode ser realizado em qualquer área, mesmo em atividades de cunho estritamente técnico, como mostrarei mais adiante, no suporte de TI, por exemplo.


Elementos do Método Científico

Quem já assistiu o filme Fim dos Tempos, de M. Night Shyamalan? O filme em si é controverso - uns amam e outros odeiam! Mas uma cena em especial exemplifica com louvor o emprego do Método Científico (não vou contar para não criar spoilers)...

Cena do filme Fim dos Tempos

... mas posso contar sobre o que se passa no início do filme: Elliot Moore (Mark Wahlberg) é um professor de ciências e ao término da aula fala aos alunos sobre a pesquisa que terão de fazer, empregando as Regras da Investigação Científica, que são:
  • Identificar as variáveis;
  • Planejar o experimento;
  • Observar e registrar os dados cuidadosamente;
  • Interpretar os dados experimentais obtidos;
Esses são os elementos (com algumas variações entre autores) que compõem uma pesquisa. Com esse conhecimento básico, já podemos apresentar o cenário do experimento.


Experiência: Problemas na instalação de uma nova versão de antivírus

Irei omitir os dados que possam identificar as partes envolvidas, mas o cenário foi real - e acredito que esse modelo possa ser reproduzido em outras situações.

Após uma atividade de atualização do antivírus realizada através de scripts de login em todos os equipamentos do parque, foram registrados diversos incidentes relatando travamentos no S.O., comportamento estranhos na utilização de janelas no ambiente gráfico, reboot intermitentes etc.

Não foram muitos equipamentos que apresentaram tais comportamentos, mas quem trabalha com SLAs sabe o quanto é prejudicial uma série de incidentes ao mesmo tempo que não possuem procedimento de atuação definido. Foi exatamente essa a situação.

Felizmente, durante a análise preliminar em um equipamento, tive um insight e solicitei que todos os incidentes fossem atendidos por mim e pedi um tempo para avaliá-los.

Dessa vez não foi culpa dele...

Depois de analisar um dos equipamentos, formulei a hipótese que poderia ser o novo antivírus e falei com a equipe de instalação - sinceramente, mais difícil do que conduzir o experimento em si, é convencer um analista que o problema pode ser justamente na área dele. Nesse ponto é que entra a investigação científica - não fiz exatamente da forma descrita, mas eu sabia mais ou menos o que deveria fazer:
  • Identificar as variáveis: Coletei os dados dos diversos equipamentos que apresentavam essas anomalias, assim como o comportamento que apresentavam e preparei uma planilha com o resumo desses dados;
  • Planejar o experimento: Após analisar as variáveis, formulei a hipótese de que o antivírus estava causando tais anomalias, mas precisamente, devido a configuração de hardware dos equipamentos ser insuficiente para a nova versão distribuída;
  • Observar e registrar os dados cuidadosamente: O experimento em si foi bem simples. Fazer um upgrade em um dos equipamentos afetados e observar como se comportaria após isso;
  • Interpretar os dados experimentais obtidos: Foi identificado que, em alguns equipamentos o antivírus afetava a integridade do sistema e que os requisitos de hardware foram a causa principal. Ressalto que uma das vantagens de utilizar o Método Científico é que permite que o experimento seja reproduzido posteriormente - algo essencial para convencer o analista em questão;

Conclusão

A utilização da Investigação Científica em uma atividade de T.I. de cunho técnico, pode até parecer inusitada, mas é justamente o que os pesquisadores fazem rotineiramente - pesquisam algo que passa despercebido no dia-a-dia e provam ou refutam hipóteses.

No meu caso, eu busquei compartilhar essa experiência pois trata-se de uma situação que não possui uma "receita de bolo" definida para se trabalhar. Já utilizei também outras vezes esse procedimento, mas adaptado para a minha necessidade.

Se este post foi útil para vc, envie um comentário - ficarei feliz em recebê-lo.


Para saber mais:

Metodologia Científica (ou em inglês);

René Descartes: Um dos grandes fundadores da metodologia científica.


Update 24/10/2010:

Quase 1 ano depois de publicar o post, tive uma situação semelhante em outra empresa em que tive que utilizar novamente essas regras para resolver um problema que não sabia direito a causa. Mais uma vez essas regras se provaram de uma grande valia para a investigação onde o cenário envolva muitas variáveis.

Como eu já tinha uma experiência anterior, foi mais fácil dessa vez. Uma dica minha para facilitar o sucesso da implementação é reduzir a quantidade de váriavéis no experimento - Isso facilita a análise. Reforço também que essas regras permitem que o experimento seja reproduzido posteriormente - essencial para análise posterior.

Ps.: Ironicamente, o responsável foi um módulo do mesmo antivírus do post original...

21 novembro, 2009

Instalação Automatizada - Adobe Reader 9.x (funciona no X)

Quem trabalha com suporte ou administração de sistemas, sabe que as instalações automatizadas são muito úteis na distribuição de softwares com pouca intervenção técnica e em larga escala. Inclusive, já foi publicado anteriormente um tutorial de um excelente front-end para scripts, o Mars Installer, que pode servir perfeitamente depois que executar os procedimentos abaixo:



Nesse post, segue um tutorial de como fazer uma instalação automatizada do Adobe Reader 9.x de forma bem fácil.

Update 03/01/2010: Testado no X com sucesso.

Requisitos:
  • Instalador do Adobe Reader 9.x (nesse link também tem as outras versões);
  • Instalador do Adobe Customization Wizard 9 (e o novo ACWX): Software para customizar a instalação do Adobe Reader 9.x (e também do Standart, Pro e Pro Extended);
  • Micro com o Microsoft Windows XP/2000 instalado;

Procedimento:

1) Execute o instalador do Adobe Reader 9.x, mas não o instale. Quando aparecer a tela da pasta de destino, abra a pasta:

"%USERPROFILE%\Configurações locais\Dados de aplicativos\Adobe\Reader 9.1\Setup Files"

Ou, se for o X: "C:\Documents and Settings\All Users\Dados de aplicativos\Adobe\Setup"

e copie o conteúdo para outra pasta qualquer (Ex.: D:\AdobeReader9);

2) Instale o Adobe Customization Wizard 9 (Modelo Next-Next-Finish - apenas para customizar o setup, depois podemos desinstalar);

3) Execute o Adobe Customization Wizard 9 e abra o arquivo AcroRead.msi que se encontra na pasta copiada no passo 1;

4) Será exbibido um menu contendo diversas categorias para customização, como na figura abaixo, no lado esquerdo da tela:

Adobe Customization Wizard 9

Daí em diante, vc poderá customizar como quiser. No meu caso, eu configurei apenas os seguintes itens:

Installation Options (Obrigatório para Instalação Silenciosa):
  • Marcar Unattended (with no user interaction, only a progress bar): Para que apareça apenas uma barra de progresso ao usuário e não pergunte nada;
  • Marcar Supress reboot: Para suprimir o reboot do micro;

Shortcuts (Opcional):
  • Removi o ícone da Área de Trabalho;

EULA and Documents Status (Opcional):
  • Marcar Supress display of End User License Agreement (EULA): Para não exibir o contrato de licença (Ninguém lê mesmo...);

Online and Acrobat.com Features (Opcional):
  • Marcar Disable All Updates;
  • Marcar In Adobe Reader, disable Help > Purchase Adobe Acrobat;
  • Marcar Disable Help > Digital Editions;
  • Marcar Disable Product Improvement Program;
  • Marcar Disable all Acrobat.com access, including initation and participation;

5) Depois disso, basta salvar o pacote, clicando no ícone Save Package. O Pacote já está modificado e podemos executar o Setup.exe (bastando duplo clique mesmo, sem nenhum comando adicional) que ele instalará sem intervenção - todas as modificações foram salvas no arquivo AcroRead.mst e o arquivo Setup.ini foi modificado para executar as definições do .mst.

Obs.: Não é mais necessário o Adobe Customization Wizard 9, já pode ser desinstalado. Só é necessária a pasta do passo 1, que já estará com a instalação automatizada.

Pronto! A instalação do seu Adobe Reader 9.x já está automatizada. Qualquer dúvida, postem um comentário.

26 outubro, 2009

Impressão de PDF em formato de livreto

Pessoal, segue uma dica rápida. Outro dia precisei imprimir um livro que baixei em formato PDF, mas não queria gastar muito papel nem imprimir na folha A4 (muito grande), daí comecei a procurar como imprimir o PDF em formato de livreto. Quem dera fosse tão fácil...



Primeiramente, para que fique claro o nível de complexidade da situação, o nome desse processo é Imposição [1] [2] [3] e normalmente é realizado por gráficas para impressão de revistas e livros usando programas específicos e bem carinhos (Indesign, Pagemaker e semelhantes).

No meu caso, não queria ter que aprender a mexer em um programa só pra imprimir em formato de livreto (ou booklets) e os arquivos eram relativamente pequenos (menor que 10 Mb).

Depois de muito google, achei dois sites que convertem o PDF em Booklets, mas possuem limite de tamanho do arquivo. Basicamente, eles fazem a mesma coisa - Imprimir em formato livreto, mas eu recomendo o primeiro, pois possibilita várias configurações para o arquivo final.

BookletCreator - http://bookletcreator.com

PDF City - http://www.pdfcity.com

Analogamente, existe um programa chamado PocketMod que usa a imposição para criar um HPDA, mas pode-se baixar um programa do site e usá-lo offline para fazer essa mesma imposição com PDF (Já me disseram que serve bacana para impressão de colas!!!!).

PocketMod - http://www.pocketmod.com

Como funciona o PocketMod

Para os linuxers, o Dicas-L publicou um script que cria um PDF para impressão em A5.

Observação: Os sites só realizam a imposição se o seu PDF estiver desprotegido. Se ele estiver protegido, recomendo o PDF Unlocker. É muito fácil de usar, ele cria um ícone na área de trabalho e basta mover o PDF para cima do ícone e pronto, ele cria um novo arquivo sem proteção. Fonte.

25 outubro, 2009

DIY - Lanterna Maglite Solitaire Mod Clip

Para os fãs da marca Maglite, uma boa notícia: publiquei um projeto DIY para um Mod em uma lanterna Maglite Solitaire no site InventeAqui. Não é nada extraordinário, mas já facilita bastante o dia-a-dia, pois atualmente utilizo como meu chaveiro.



Quem quiser visitar segue o tutorial: Lanterna Maglite Solitaire Clip Mod.

DIY - Do It Yourself

Ultimamente tenho acessado vários sites sobre DIY (Do It Yourself), que significa "Faça você mesmo". Para quem não conhece, e gostaria de saber mais, pode acessar esse: DIY no Wikipedia.

Projeto DIY de pasta para notebook
Um dos diversos projetos: Uma pasta para notebook!


Como a internet é uma das tecnologias mais democráticas que existe, a difusão de diversos tutoriais do tipo DIY é imensa (Ainda bem). Para quem se interessa por trabalhos manuais como hobby ou vive de criação de produtos por meios artesanais pode ser uma fonte interessante de consulta.

No meu caso, eu simplesmente às vezes me divirto fazendo alguns desses tutoriais e fico impressionado com a capacidade de criação das outras pessoas.

Se também ficou interessado, sugiro visitar os seguintes sites, que podem conter diversos tutoriais,- alguns inúteis e outros interessantes:

InventeAqui - Portal Brasileiro de Invenções;
Instructables - Portal DIY com uma base de dados impressionante;
Acrilex - Site oficial da acrilex: Possui técnicas de artesanado para download em PDF;
Bricolage Total - Site sobre bricolagem em geral;
Faça Você Mesmo - Blog com Dicas de Bricolagem.

23 março, 2009

SISO 2.0 - Simulador de Sistema Operacional (Módulo de Deadlock)

O SISO 2.0 (Simulador de Sistema Operacional) é um software educacional que permite simular situações de Detecção de Deadlock, segundo um algoritmo de detecção com vários recursos de cada tipo.

O objetivo do SISO é:
  • auxiliar no ensino/aprendizagem da disciplina de Sistemas Operacionais, facilitando o entendimento prático do algoritmo de detecção de deadlock;
  • permitir a visualização da montagem das matrizes do algoritmo;
  • permitir que o aluno antecipe os resultados da detecção, antes de serem exibidos (como exercício).

Tela de entrada de dados do SISO 2.0

Esta versão do software pode ser executado diretamente da internet, como um Applet, o que facilita bastante o procedimento de instalação. Para executar, clique aqui, ou no link abaixo. É necessário ter o Java Runtime Environment 1.5 ou superior instalado, caso contrário, a instalação é iniciada automaticamente. Melhor visualizado em 800 X 600 ou superior.

Tela de Detecção do SISO 2.0

Clique aqui para acessar o SISO 2.0 ( Acesso ao Applet Online )

Clique aqui para acessar a Ajuda ( Manual do Usuário ) ( Bugs )

 Clique aqui para acessar a Monografia ( Monografia )

Eu desenvolvi esse software durante a minha especialização, se encontrarem algum problema nele, deixem um comentário, por favor.

22 março, 2009

Mars Installer - Dicas (Parte 5 - Final)

Agora que vc já sabe configurar o Mars Installer, podemos finalizar com algumas informações úteis:

Mars Installer
Código de Ícones:
  • -1 - Sem ícone;
  • 0 - Padrão;
  • 1 - Antivírus;
  • 2 - Compactadores;
  • 3 - Audio;
  • 4 - Gravadores de CD;
  • 5 - Diagnóstico;
  • 6 - Drivers;
  • 7 - Jogos;
  • 8 - Gráficos/Imagens;
  • 9 - Informações;
  • 10 - Internet;
  • 11 - Matemática;
  • 12 - Portables;
  • 13 - Rede;
  • 14 - Office;
  • 15 - Recuperação;
  • 16 - Proteção de Tela;
  • 17 - Segurança;
  • 18 - Sistema;
  • 19 - Themes;
  • 20 - Tweaks;
  • 21 - Video;
  • 22 - Windows.
Variáveis com o caminho às pastas dos sistema (Atenção - somente o %ROOT%, %ROOTC% e %FOLDER% podem ser configurado. As demais são automáticas):
  • %ROOT% - caminho da pasta principal (seção Options);
  • %ROOTC% - caminho da pasta do grupo (seção Category);
  • %FOLDER% - caminho da pasta do script (seção Script);
  • %BDRV% - letra da unidade de onde o marsinst.exe foi executado (ex.: E:);
  • %BPATH% - caminho completo de onde o marsinst.exe foi executado (ex.: E:\AutoInstall);
  • %CDROM% - se FindCD não for definido (seção Options), letra do primeiro drive de CD ou disco removível;
  • %WINDIR% ou %SYSTEMROOT% - caminho do Windows (ex.: C:\WINDOWS);
  • %SYSTEMDIR% - caminho do Windows System (ex.: C:\WINDOWS\System32);
  • %APPDATA% - caminho do Applications Data
  • %ALLAPPDATA% - caminho do Applications Data de All Users
  • %PROGRAMFILES% - caminho do Arquivos de Programas (ex.: C:\Arquivos de Programas);
  • %PROGRAMFILES64% - caminho do Arquivos de Programas x64 em SO x64;
  • %STARTMENU% - caminho do Menu Iniciar;
  • %ALLSTARTMENU% - caminho do Menu Iniciar de All Users;
  • %QUICKLAUNCH% - caminho da barra de Inicialização Rápida;
  • %DESKTOP% - caminho do Desktop;
  • %ALLDESKTOP% - caminho do Desktop de All Users;
  • %SYSTEMDRIVE% - unidade do drive onde o windows está instalado (normalmente C:);
  • %DOCUMENTS% - caminho dos Meus Documentos;
  • %ALLDOCUMENTS% - caminho dos Meus Documentos de All Users;
  • %STARTUP% - caminho da pasta Inicializar (Iniciar->Programas->Inicializar);
  • %ALLSTARTUP% - caminho da pasta Inicializar de All Users;
  • %TEMP% - caminho dos Temporários do Windows (do usuário atual);
Outras dicas:
  • Ás vezes o Installer não consegue executar uma linha de comando com nomes extensos, mas basta colocar todo o comando entre aspas simples que ele executa (ex.: Run1='"%FOLDER%\klmcodec434.exe" /verysilent /norestart /LoadInf="%FOLDER%\klmcp.ini"');
  • Se vc já tiver um SETUP.BAT contendo seus scripts (como eu já tinha...) e ele não funcionar direito, lembre-se do seguinte: o Installer não inicia o .BAT diretamente da pasta onde este se encontra. Ele inicia da %FOLDER%. Eu recomendaria importar todos os seus .BAT para o .INI (não tem nenhuma ferramenta que faça isso - tem que ser feito na munheca - pode parecer trabalhoso, mas evita muita dor de cabeça, acredite!);
  • No Windows 2000 às vezes aparece uma mensagem de erro ao executar o Installer, pedindo por um arquivo GDIPLUS.DLL. Baixe ele aqui e descompacte para o mesmo local do marsinst.exe e seja feliz;
  • O Windows 2000 não vem com o aplicativo REG.EXE (para configurar o Registro pelo Prompt) como padrão. É necessário copiá-lo da pasta Support que vem no CD de instalação do W2k;
  • Eu recomendo deixar a opção de log ativada, ele é muito útil para debug. Normalmente eu defino para gravar no %TEMP%. O log tem um resumo das variáveis, o comando executado e alguns erros que não são exibidos para o usuário ficam registrados lá!
Ufa! Esse é o final! Espero que esse tutorial seja útil para facilitar o trabalho de alguém. Depois criarei um post para funcionar como índice dos comandos de instalação silenciosa que eu uso.

Se alguém gostou, achou algum erro, quer incluir alguma coisa, poste um comentário, ficarei feliz em recebê-lo! Até a próxima!

Mars Installer - Seção Grupos e Scripts (Parte 4)

Agora chegou a hora da ação de verdade. Na parte 3, foi mostrado como traduzir o Mars Installer. Agora vamos ver os grupos e os scripts.

Mars Installer
  • Name1: nome do grupo se a Language1 estiver selecionada (ex.: Media);
  • Name2: nome do grupo se a Language2 estiver selecionada (e por aí vai... depende da quantidade de Languages existentes);
  • Root: outra opção super interessante - permite que vc defina qual a variável %ROOTC% para o grupo atual, assim vc pode organizar seus scripts em uma pasta e quando precisar usá-los nos scripts, basta referenciar pelo %ROOTC% (ex.: Root=%ROOT%\Media\)
  • Collapsed: grupo aparece recolhido como padrão (0-desativado, 1-ativado);
  • Checkbox: exibe o checkbox para selecionar o grupo inteiro a executar (0 - desativado, 1-ativado);
  • Icon: permite selecionar um ícone interno ao frontend para representar o grupo (veja na parte 5);
Abaixo segue um exemplo das minhas configurações:
[Category1]
Name1=Imagens
Root=%ROOT%\Imagens\
Checkbox=1
Icon=8

[Category2]
Name1=Media
Root=%ROOT%\Media\
Checkbox=1
Icon=3
E, finalmente, os scripts:
  • Name: título do script (aparecerá do mesmo jeito em todas as Languages);
  • Desc1: pequena descrição para a [Language1] (use 'Desc1=' se não houver Languages definidas ou somente uma definida);
  • Desc2: pequena descrição para a [Language2] e por aí vai...
  • URL: exibe um ícone com um link para um site na internet
  • Radio: permite a criação de um radio box (seleção mutuamente exclusiva), definidas por grupos (ex.: Radio=2 - todos os scripts que tiverem essa linha serão mutuamente exclusivos - somente um deles poderá ser selecionado por vez);
  • Category: a qual grupo o script pertence;
  • Default: script aparecerá selecionado como padrão;
  • Visible: script será exibido na lista de seleção para o usuário (ele pode ser invisível ao usuário, mas se Default=1 será executado junto com os demais);
  • Enabled: permite que o usuário selecione o script (0-desativado, 1-ativado);
  • Icon: permite selecionar um ícone interno ao frontend para representar o script (veja na parte 5)
  • Folder: define a variável %FOLDER% para apontar a uma determinada pasta (ex.: Folder=%ROOTC%\Irfanview);
  • Run1: primeira linha de comando a executar - quando for nomes extensos, coloque sempre entre aspas duplas (ex.: Run1="%Folder%\iview420_setup.exe" /silent /desktop=0 /group=1 /allusers=1 assocallusers=1);
  • Run2: segunda linha de comando a executar (ex.: Run2="%Folder%\irfanview_plugins_420_setup.exe" /silent);
  • Run3: olha a sacada - podemos usar a Language1 selecionada assim: (ex.: Run3=|lng1|'copy "%Folder%\vendas\i_view32.ini" "%PROGRAMFILES%\IrfanView\" /y');
  • Run4: se a Language2 estiver selecionada, então a linha anterior não será executada, mas essa será: (ex.: Run4=|lng2|'copy "%Folder%\pessoal\i_view32.ini" "%PROGRAMFILES%\IrfanView\" /y');
Viram só como é poderoso o recurso do Language? Eu apenas copiei um arquivo .INI do Irfanview, mas poderia fazer outras coisas, como configurar um IP no Registro do Windows para acesso a um determinado servidor etc. As possibilidades são inúmeras com poucas linhas de configuração. Exemplo do meu arquivo de configuração:
[1]

Name=IrfanView 4.20
Desc1=
URL=http://www.irfanview.com/
Category=1
Default=1
Visible=1
Enabled=1
Icon=8
Folder=%ROOTC%\IrfanView
Run1="%Folder%\iview420_setup.exe" /silent /desktop=0 /group=1 /allusers=1 /assocallusers=1
Run2="%Folder%\irfanview_plugins_420_setup.exe" /silent
Run3=|lng1|'copy "%Folder%\vendas\i_view32.ini" "%PROGRAMFILES%\IrfanView\" /y'
Run4=|lng2|'copy "%Folder%\pessoal\i_view32.ini" "%PROGRAMFILES%\IrfanView\" /y'


[2]

Name=Codecs
Desc1=
URL=http://www.free-codecs.com
Category=2
Default=1
Visible=1
Enabled=1
Icon=21
Folder=%ROOTC%\Codecs
Run1='"%FOLDER%\klmcodec434.exe" /verysilent /norestart /LoadInf="%FOLDER%\klmcp.ini"'
Antes de todo script, tem que ter um número sequencial (aquele [1] e [2] que aparecem). Como já disse anteriormente, configurar o Installer é a parte fácil. Saber qual a linha de comando para instalação silenciosa é que é o difícil.. Na parte 5 e final mostrarei algumas informações úteis e, aos poucos, alguns comandos para instalação silenciosa de alguns aplicativos.

Mars Installer - Seção Language (Parte 3)

Na parte 2, foi mostrada a seção de opções básicas. Nessa parte, mostrarei logo a configuração que eu uso e vcs verão que não tem muito mistério a seção Language:
[Language1]

Name=Setor de Vendas (Aqui está a sacada: em vez de usar para traduzir o frontend, eu prefiro usar para customizar as instalações, veja na imagem mais abaixo)
Codepage=1252
Title=Instalação de Aplicativos Diversos
Info=Selecione o software para instalar:
BTN_Install=Instalar
BTN_Stop=Parar
BTN_Exit=Sair
BNT_Reboot=Reiniciar
TXT_About=&Sobre
TXT_Installing=Instalando software selecionados:
TXT_Complete=Instalação finalizada!
TXT_Programs=Softwares a instalar:
TXT_Of=de
TXT_CheckAll=Selecionar tudo
TXT_UnCheckAll=Desmarcar tudo
TXT_ExpandAll=Expandir todas
TXT_CollapseAll=Fechar todas
TXT_Default=Padrão
TXT_Version=Versão
TXT_AutoInst=Instalação Automatizada de Software
TXT_Copyright=Copyright por
MSG_SureToStop=Deseja realmente parar a instalação?
A instalação atual será finalizada!
Efeito de mais de um Language definido no .INI

Deu pra entender, certo? Se quisermos criar um [Language2], basta copiar o mesmo conteúdo e mudar o que for necessário.

Se omitirmos essa seção, o Installer virá em inglês. Na parte 4, vcs verão que pode-se usar um recurso para, baseado na opção de Language, usar uma ou outra linha de comando e customizar sua instalação (esse Mars Installer é bom ou não é?).

Mars Installer - Seção Options (Parte 2)

Na parte 1 foi realizada uma introdução do Mars Installer, nessa segunda parte do tutorial, irei explicar as funções da seção options (Eu sei que essa parte deve ser meio chatinha, se vc estiver com pressa, abaixo tem as configurações):

Mars Installer
  • Root: pasta principal das instalações, representada pela variável %ROOT%, %BDRV% representa a letra do drive onde está o executável marsinst.exe;
  • FindCD: procura por determinada pasta nos drives de CD-Rom e, ao encontrar, define a variável %CDROM% para a letra desse drive;
  • LogFile: define o caminho do arquivo de log (se WriteLog=1), mas a linha de comando /L tem prioridade sobre este;
  • WriteLog: grava um log dos scripts executados (0-desativado, 1-ativado, se não definido, o log será criado no %SYSTEMROOT%);
  • Reboot: reinicia windows após terminar as instalações (0-desativado, 1-ativado);
  • Delay: tempo em segundos antes de iniciar as instalações (0-não inicia automaticamente, 1-imediatamente)
  • DelayExit: tempo em segundos antes de sair ou reiniciar após terminar as instalações
  • Resizable: permite que a janela seja redimensionada (0-desativado, 1-ativado);
  • StayOnTop: janela sempre no topo (0-janela normal, 1-ativado);
  • Color: cor de fundo da janela principal;
  • Width: largura da janela prinicipal;
  • TreeColor1: cor de fundo da árvore de seleção;
  • TreeColor2: cor de fundo das categoriaas da árvore de seleção;
  • SmallFontColor: cor da fonte da descrição pequena;
  • SelectionColor: cor do item selecionado
  • SelBorderColor: cor da borda do item selecionado
  • SelTextColor: cor da fonte do texto principal selecionado
  • SelSmallTextColor: cor da fonte da descrição do item selecionado;
  • URLIconType: tipo do ícone para URL (valor 1, 2, 3 disponíveis);
  • LockSystem: Sistema será bloqueado enquanto os scripts são executados (ainda não implementado;
  • CanStop: permite cancelar a execução dos scripts (0-desativado, 1-ativado);
  • DefLang: língua padrão do frontend (se houver mais de uma língua definida no arquivo);
  • Debug: modo de debug - o frontend exibirá uma mensagem com a linha de comando a ser executada em vez de executá-la (0-desativado, 1-ativado);
Como eu disse, essa é uma parte um pouco mais chatinha, mas depois de configurada a primeira vez, não precisamos mais nos preocupar. Abaixo segue as configurações que eu uso. Basta copiar e colar no seu arquivo:
[Options]
Root=%BPATH%
FindCD=marsinst.exe
LogFile=%TEMP%\marsinst.log
WriteLog=1
Reboot=0
Delay=30
DelayExit=20
Resizable=1
StayOnTop=0
Color=$49DDEF
Width=550
SelectionColor=$55AAFF
SelBorderColor=$0088FF
SelTextColor=$000000
SelSmallTextColor=$666666
URLIconType=3
CanStop=1
DefLang=1
Debug=0
Ainda não chegamos na parte trabalhosa.. Na parte 3, eu mostrarei como fazer a tradução do Installer!

21 março, 2009

Mars Installer - Um frontend para seus scripts (Parte 1)

Um Administrador de Sistemas/Suporte/Analista precisa possuir alguns requisitos para ser realmente bom em sua função. No blog GuraveHaato tem uma série de dicas interessantes para ser um bom Sysadmin e uma, em especial, me chamou a atenção: Dica 4 - "Scriptize" tudo.

O pessoal de linux já conhece há muito tempo a importância dos scripts para o suporte. Eles garantem a execução de tarefas rotineiras de maneira cômoda, rápida (nem sempre, mas na maioria), precisa e eficiente. No windows, por ter sua interface gráfica supervalorizada, poucas pessoas utilizam o Prompt de Comando para realizar algumas tarefas que são relativamente fáceis e que agregam todas as vantagens dos scripts.

Nesse sentido, resolvi postar um tutorial básico do Mars Installer, um software que serve de frontend para comandos em lote (scripts do Prompt de Comando e até mais alguma coisa), com uma interface gráfica digna de instaladores profissionais (e até bem melhor do que alguns que eu já vi).

O Mars Installer está atualmente na versão 1.4, é um Donateware (se for útil pra vc, não custa nada ajudar - o software é muito bom!), compatível com Windows 2000, Windows XP e Vista. Sua grande vantagem é que ele permite uma customização fácil e completa, bastando editar um arquivo .INI para isso. Abaixo encontra-se um screenshot de uma customização que eu fiz para instalação de aplicativos diversos (todos freewares/open-source - diga não à pirataria!):

Mars Installer
Com esse software fica muito mais fácil levantar uma imagem de um micro ou reinstalar um aplicativo, pois tudo que for necessário para sua instalação/configuração estará incluído no .INI, daí pode-se deixar o Installer fazer o trabalho pesado enquanto fazemos algo mais produtivo (como tomar um cafezinho, por exemplo...).

Quando se faz o download do site do fabricante, o mesmo acompanha dois arquivos de configuração como exemplo, um com todas as opções, outro com as opções mínimas para uso. Nesse post eu vou listar as seções (com o link para cada uma delas), dizendo quais são opcionais e podem ser suprimidas. Vamos lá:


  1. Seção Options (Opcional): Configura diversas opções básicas;

  2. Seção Language (Opcional): Permite traduzir as mensagens do front-end, inclusive pemitindo traduzí-lo para mais de um idioma no mesmo arquivo .INI. Pessoalmente eu achei uma seção poderosa, pois permite mais do que só configurar a linguagem. Explico: imagine que um mesmo software precise ser instalado para o setor de vendas que acessa o servidor X e para o setor de pessoal que acessa o servidor Y, com essa seção podemos criar dois modos de instalação, no mesmo arquivo .INI, onde modifica-se apenas o script com o servidor X ou Y (ficará mais claro na seção de scripts).

  3. Seção Category (Opcional): Permite definir diversos grupos para organizar os scripts. Pode-se ver que no screenshot acima os scripts estão divididos nos grupos Imagens, Media, Office, Rede etc.

  4. Seção de Scripts (Obrigatória, lógico): As seções anteriores foram somente recursos extras. Aqui que ocorre toda a ação do frontend e é onde reside 90% do trabalho.

  5. Final: Algumas dicas legais!


Acreditem, a parte de configuração do Installer é a parte fácil!!! Na minha humilde opinião, a parte difícil é achar quais as linhas de comando certas para configurar os aplicativos. Para que não ficasse um post muito grande, dividi em 5 partes.

15 março, 2009

Alicate Chaveiro Multifuncional

Sou um fã do site efetividade.net e acho super-legal os diversos artigos produzidos sobre as ferramentas como o Leatherman K502X , o Swisscard Lite etc. Eles realmente oferecem uma referência para quem deseja adquirir tais produtos e procura opinião de quem já usou.

No meu caso, como trabalho muito com manutenção de micros, perdi a conta de quantas vezes precisei de uma ferramenta, mas ou não tinha em mãos no momento ou estava distante o suficiente para perder um tempo precioso indo buscá-las.

Recentemente comprei um Alicate-Chaveiro Multifuncional, que fechado mede menos de 7 cm, cabe na palma da mão e ainda vem com um estojo para levar no cinto. Importado pela empresa Mor (www.mor.com.br), ele cumpre sua missão sem tornar-se mais um trambolho para carregar.

Alicate Chaveiro Multifuncional
Tem 9 funções:
  1. Alicate de bico (ainda tem mola pra facilitar a abertura);
  2. Aperto padrão;
  3. Cortador de arame (testado e aprovado para cortar/descascar cabo de telefone!!);
  4. Lanterna (usa led e 4 baterias já inclusas - é bem potente);
  5. Chave phillips;
  6. Chave fenda;
  7. Lâmina grande;
  8. Lâmina serrilhada;
  9. Abridor de garrafas;
Não vou arriscar entrar no banco com isso, mas o estojo serve tranquilamente para levá-lo no cinto e usar quando precisar (o que comigo ocorre frequentemente). Acho que poderiam mudar um pouco o layout e adaptar um clip nele. Também senti falta de uma régua, mas nada que comprometa o produto.

Concluindo, apesar de não ter o mesmo estilo dos canivetes da Victorinox, recomendo para qualquer eventualidade ou para presentear. Além, é claro, da "pequena" diferença de preço entre as ferramentas citadas anteriormente (Achei por R$ 30,00 +/- em vários sites).

08 fevereiro, 2009

JkDefrag - Desfragmentador de arquivos

Toda vez que alguém me pede para verificar lentidão em um micro, eu executo alguns procedimentos padrões, como limpeza de temporários, varredura contra vírus, desfragmentação de arquivos etc. Em geral, o que causa uma diferença de performance sensível é a desfragmentação dos arquivos, por inúmeros motivos (pouca memória ram, que causa mais uso da memória virtual, em um hd de 5400 rpm e por aí vai..)

Para ajudar nessa tarefa eu uso o JkDefrag (http://www.kessels.com/Jkdefrag), atualmente em sua versão 3.36, um desfragmentador open source (viva o GNU), que nas mãos certas torna-se uma ferramenta poderosíssima para otimização do disco:

JkDefrag
  • Funciona com interface gráfica ou por linha de comando;
  • Permite utilização totalmente automatizada (Na minha opinião a melhor vantagem dele!);
  • Permite ser usado juntamente com a proteção de tela do windows, na melhor hora para desfragmentar (quando vc não está usando o seu micro);
  • É mais rápido que o defrag do windows e pode ser usado sem ficar "reiniciando" toda vez que detecta uma modificação nos arquivos;
  • Não é necessário instalar, basta copiar a pasta do programa para o seu pendrive e rodar como administrador.
Eu prefiro usar apenas o JkDefrag, mas existe uma GUI (http://www.emro.nl/freeware/) que facilita algumas configurações. Se quiser configurar parar rodar como screensaver, aí vai um passo a passo bem simples:
  1. Copie os arquivos JkDefragScreenSaver.exe e JkDefragScreenSaver.scr para a pasta do Windows;
  2. Daí basta ir em Painel de Controle --> Vídeo --> Proteção de Tela;
  3. Selecione a opção JkDefragScreenSaver e pronto, se quiser algumas configurações avançadas, clique em Configurações e aparecerá a tela abaixo:
  4. Vc pode selecionar qual a Proteção de Tela será executada após o programa terminar de desfragmentar (1o. Campo), pode selecionar a frequência de execução (2o. Campo - ex.: só executa se a última desfragmentação foi há mais de 4 horas - bom para não sobrecarregar seu HD).
JkDefrag ScreensaverUm software eficaz e eficiente, entre inúmeros outros atributos. Esse já é padrão no meu pendrive e agora pode ser no seu também!!! Até a próxima dica!

31 janeiro, 2009

Os drives virtuais esquecidos..

Outro dia me deparei com um problema meio incomum, um notebook que tinha 4 drives de cd/dvd (Windows XP). Lógico que não eram físicos, nem atrapalhavam em nada no funcionamento do sistema, mas atiçou minha curiosidade o fato de eu não saber de onde veio aquilo (o cliente menos ainda). Os drives extras tinham o nome: Generic DVD-ROM SCSI CdRom Device, apareciam no gerenciador de dispositivos, tinham unidades atribuídas e mesmo depois de deletados, retornavam ao reiniciar.


Gerenciador de Dispositivos e o Maledeto

Vasculhando na internet, encontrei um software chamado Daemon Tools, e um site falando sobre isso:

http://forum.daemon-tools.cc/f19/version-3-0-does-not-remove-virtual-drive-7056/

O D-Tools cria drives virtuais e normalmente é usado para rodar jogos que precisam dos cds no drive para executar. Daí é só copiar o cd para o hd e usar o Daemon pra "enganar" o jogo, emulando um drive de cd e rodando direto do hd.

Bom, aparentemente ele foi instalado no notebook e quando foi desinstalado o programa não removeu os drives virtuais e eu tive de fazer segundo o procedimento:
  • Fui em Painel de Controle --> Sistema --> Hardware --> Gerenciador de Dispositivos --> Dispositivos de Sistema
  • Deletei o dispositivo: Plug and Play BIOS Extension
  • Depois deletei os demais drives no Gerenciador de Dispositivos --> Unidades de DVD/CD-Rom.
Esse procedimento funcionou para o meu caso, embora exista diversos softwares além desse que criam drives virtuais. Se souberem de outros casos, compartilhem aqui. Suas experiências serão bem-vindas.

21 janeiro, 2009

Vírus Sality

Tive um infeliz contato com o vírus Sality e gostaria de compartilhar com vcs algumas informações:



A novidade desse vírus é que, no meu caso, ele conseguiu se disfarçar do patch SP3 do windows XP e infectou o micro após a instalação do mesmo (Tenho relatos que mesmo com antivírus instalado e funcional, o vírus conseguiu infectar o windows). Aparentemente, ele pode infectar qualquer executável e se propaga quando esse arquivo for executado em outro micro. O grande problema é que ele corrompeu os arquivos do sistema, inutilizando o SO. Tentei várias ferramentas, mas nenhuma funcionou elas apenas corrigiram/deletaram o instalador do SP3 que fora infectado. Observem que na propriedade do instalador corrompido do SP3 não aparecem algumas informações:

Instalador do SP3 Corrompido (Sem a aba versão):

Propriedades SP3 Corrompido
Instalador do SP3 Original (Com todas as abas)

Propriedades SP3 Original
Depois disso, o windows começou a apresentar umas mensagens de erros como essas abaixo (aletoriamente). No meu caso, também desabilitou o gerenciador de tarefas e o regedit:

Erros Windows
Abaixo segue um remover para esse vírus (Comigo não funcionou. O McAfee conseguiu limpar apenas o instalador, o micro infectado não. O Avast nem limpou, mas detectou e excluiu :-( ):

http://www.avg.com/br-pt.52.ndi-67769

E algumas informações extras:

http://www.adrenaline.com.br/forum/area-windows/178962-v-rus-quase-execut-veis-sality-nac.html
http://www.vsantivirus.com/sality-nac.htm
http://www.symantec.com/security_response/writeup.jsp?docid=2006-011714-3948-99

Resumindo: No meu caso não teve jeito, só formatando (com cuidado redobrado pra ele não infectar mais nada). Se alguém souber mais informações, por favor, informe.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...