Páginas

21 março, 2009

Mars Installer - Um frontend para seus scripts (Parte 1)

Um Administrador de Sistemas/Suporte/Analista precisa possuir alguns requisitos para ser realmente bom em sua função. No blog GuraveHaato tem uma série de dicas interessantes para ser um bom Sysadmin e uma, em especial, me chamou a atenção: Dica 4 - "Scriptize" tudo.

O pessoal de linux já conhece há muito tempo a importância dos scripts para o suporte. Eles garantem a execução de tarefas rotineiras de maneira cômoda, rápida (nem sempre, mas na maioria), precisa e eficiente. No windows, por ter sua interface gráfica supervalorizada, poucas pessoas utilizam o Prompt de Comando para realizar algumas tarefas que são relativamente fáceis e que agregam todas as vantagens dos scripts.

Nesse sentido, resolvi postar um tutorial básico do Mars Installer, um software que serve de frontend para comandos em lote (scripts do Prompt de Comando e até mais alguma coisa), com uma interface gráfica digna de instaladores profissionais (e até bem melhor do que alguns que eu já vi).

O Mars Installer está atualmente na versão 1.4, é um Donateware (se for útil pra vc, não custa nada ajudar - o software é muito bom!), compatível com Windows 2000, Windows XP e Vista. Sua grande vantagem é que ele permite uma customização fácil e completa, bastando editar um arquivo .INI para isso. Abaixo encontra-se um screenshot de uma customização que eu fiz para instalação de aplicativos diversos (todos freewares/open-source - diga não à pirataria!):

Mars Installer
Com esse software fica muito mais fácil levantar uma imagem de um micro ou reinstalar um aplicativo, pois tudo que for necessário para sua instalação/configuração estará incluído no .INI, daí pode-se deixar o Installer fazer o trabalho pesado enquanto fazemos algo mais produtivo (como tomar um cafezinho, por exemplo...).

Quando se faz o download do site do fabricante, o mesmo acompanha dois arquivos de configuração como exemplo, um com todas as opções, outro com as opções mínimas para uso. Nesse post eu vou listar as seções (com o link para cada uma delas), dizendo quais são opcionais e podem ser suprimidas. Vamos lá:


  1. Seção Options (Opcional): Configura diversas opções básicas;

  2. Seção Language (Opcional): Permite traduzir as mensagens do front-end, inclusive pemitindo traduzí-lo para mais de um idioma no mesmo arquivo .INI. Pessoalmente eu achei uma seção poderosa, pois permite mais do que só configurar a linguagem. Explico: imagine que um mesmo software precise ser instalado para o setor de vendas que acessa o servidor X e para o setor de pessoal que acessa o servidor Y, com essa seção podemos criar dois modos de instalação, no mesmo arquivo .INI, onde modifica-se apenas o script com o servidor X ou Y (ficará mais claro na seção de scripts).

  3. Seção Category (Opcional): Permite definir diversos grupos para organizar os scripts. Pode-se ver que no screenshot acima os scripts estão divididos nos grupos Imagens, Media, Office, Rede etc.

  4. Seção de Scripts (Obrigatória, lógico): As seções anteriores foram somente recursos extras. Aqui que ocorre toda a ação do frontend e é onde reside 90% do trabalho.

  5. Final: Algumas dicas legais!


Acreditem, a parte de configuração do Installer é a parte fácil!!! Na minha humilde opinião, a parte difícil é achar quais as linhas de comando certas para configurar os aplicativos. Para que não ficasse um post muito grande, dividi em 5 partes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...